• Adriana Orsi

Pós Leilão - Tudo que você precisa saber!

Para você que tem interesse em participar de leilões judiciais ou de se aprofundar um pouco mais no tema, nesse texto vamos explicar um passo a passo de tudo que precisará ser feito depois do leilão até a posse e transmissão do bem ao seu nome. Abordaremos dicas de como proceder a regularização de um imóvel arrematado, abrangendo tanto questões registrais, como processuais.



Ganhei o leilão. E agora?

Após 24 horas da realização da hasta pública e o pagamento do lance e comissão, será lavrado o auto de arrematação pela empresa gestora do leilão. Este documento será enviado para o arrematante via e-mail para que seja assinado e devolvido; se o processo for digital, o Arrematante retornará por e-mail, e se o processo for físico, enviará para o endereço da gestora, por correio ou por meio de serviços especializados de entrega.

Recebendo o auto devidamente assinado, a D1LANCE fará uma petição para conhecimento do Juiz, que constará: o auto de leilão positivo, os comprovantes de pagamento (lance e comissão), o auto de arrematação assinado, a publicação do edital e as intimações necessárias.

Em regra, assinado o auto de arrematação pelo juiz, pelo arrematante e pelo leiloeiro, a arrematação será considerada perfeita, acabada e irretratável (art. 903, CPC).

Na sequência, o Juiz abrirá o prazo de 10 (dez) dias úteis para as partes tomarem ciência da arrematação e se manifestarem concordando ou impugnando o ato.

Se não houver impugnação?

Será certificado o decurso de prazo pelo cartório judicial e dado início às providências para a expedição da carta de arrematação.

E o que acontece se houver impugnação dentro do prazo?

Caso isso ocorra, o arrematante tem duas opções: desistir da arrematação e solicitar a devolução dos valores pagos (lance e comissão do leiloeiro); ou defender a arrematação/aguardar o julgamento.

Para o segundo caso, o melhor caminho é ingressar no processo com um advogado, que analisará o que está sendo alegado e poderá rebater as teses. Em seguida, basta esperar que essa impugnação seja julgada pelo magistrado.

Fique tranquilo! As chances de que a decisão proferida seja favorável ao arrematante são grandes, possibilitando a expedição da carta de arrematação.

Mesmo assim, se a decisão do Juiz for desfavorável, o arrematante não corre risco de perder seu dinheiro. Com a arrematação cancelada, o valor do lance é devolvido, juntamente com o valor da comissão.

Isso demonstra que o arrematante não será prejudicado e o fato de esperar o julgamento da impugnação não oferece perigo, tornando o leilão judicial uma modalidade segura e com baixos riscos.

Além de todo esse respaldo, o valor do lance fica depositado em uma conta judicial, sendo atualizado monetariamente pelo índice do TJ-SP.

Providências necessárias à expedição de carta de arrematação

A carta de arrematação é o documento legal que permite a transferência definitiva do bem arrematado.

No tocante ao recolhimento de custas, será determinado o pagamento da taxa de transferência do imóvel (ITBI), da taxa de expedição da carta de arrematação (normalmente em torno de R$ 50,00) e, caso necessário, da taxa do mandado de imissão na posse (normalmente em torno de R$ 80,00).

Em relação aos documentos, o artigo 901, § 2º, do CPC, estabelece que a carta de arrematação conterá a descrição do imóvel, com remissão à sua matrícula ou individuação e aos seus registros, a cópia do auto de arrematação e a prova de pagamento do imposto de transmissão, além da indicação da existência de eventual ônus real ou gravame.

Tendo em vista que os documentos necessários para a formação da carta de arrematação variam caso a caso, é importante que o arrematante busque esta informações junto ao Cartório da Vara competente, bem como ao Cartório de Registro de Imóveis, onde está registrada a matrícula do bem.

Geralmente, estes documentos são: petição aceitando nomeação, auto de leilão positivo, comprovantes de pagamento, auto de arrematação assinado, edital publicado, intimações, matrícula e decisão homologando a arrematação.

Ademais, cumpre informar que será necessário pagar a taxa referente às cópias do processo (valor depende da quantidade de folhas) diretamente no cartório judicial responsável pela arrematação, que serão autenticadas e conferidas, ficando certificada, ainda, a autenticidade da assinatura do juiz que subscreveu o documento.

As cópias necessárias serão juntadas com todas as taxas mencionadas acima formando a carta de arrematação.

No caso de arrematação de direitos sobre um imóvel, a carta de arrematação será expedida apenas sobre os “direitos”. Mas para entender melhor sobre esse tema há um outro artigo bem bacana em nosso blog.

Retirada da carta de arrematação e registro no cartório de registro de imóveis

Após finalizado todo o procedimento judicial, o arrematante será intimado a comparecer no cartório judicial a fim de retirar a via original da carta de arrematação.

Em posse da carta de arrematação, deve ser verificado qual o Cartório de Registro de Imóveis competente para iniciar os trâmites registrais, ou seja, apresentação da carta de arrematação (original), espelho de IPTU vigente e comprovante de pagamento do ITBI.

Depois é só aguardar a análise da documentação pelo cartório e o registro na matrícula, o que deve demorar uns 15 dias.

Importante ressaltar que os valores do registro variam de acordo com a região e com o valor venal do imóvel.




Aconselhamos sempre o arrematante a ingressar no processo com advogado para dar maior celeridade e requerer o que é de direito, bem como entendemos que seria importante entrar em contato com os cartórios competentes, a fim de obter informações precisas sobre o funcionamento e suas particularidades, tendo em vista que cada um possui um trâmite interno próprio.


Conte conosco para tirar suas dúvidas.

contato@d1lance.com

+55 11 3101 9851 (Telefone e Whatsapp)


Elaborado por: Uly Luzzi, Bruno Toscano, Adriana Orsi e Talita Meschini

208 visualizações

O Blog D1LANCE tem como objetivo elucidar suas dúvidas sobre como participar de leilões de forma segura, transparante e ágil. Criaremos conteúdos exclusivos com dicas, informações, passo-a-passos e as novidades sobre o mercado de leilões.

TUDO SOBRE LEILÕES JUDICIAIS

Blog D1LANCE
Logo D1LANCE
  • Instagram
  • Facebook
  • Dúvidas e Sugestões - Blog D1LANCE L
oport2.png

Site homologado pelo

Tribunal de Justiça de SP

Endereço

Av. Paulista, 1274, 21º andar

São Paulo, SP, 01310-100

Leiloeiros Oficial

José Roberto Neves Amorim - JUCESP 1106

Dannae Vieira Avila - JUCESP 941

Central de Atendimento 
      (11) 3101-9851  

      (11) 3101-9851

Receba os leilões

em seu e-mail!

CLIQUE AQUI para se cadastrar em nossa lista e receber as melhores oportunidades aonde estiver. De quebra você receba a Cartilha do Arrematante com dicas importantes para arrematar com segurança.

Todos os direitos reservados. ® 2014 - 2019 D1LANCE.com Leilões CNPJ: 19.962.222/0001-13

-